Ilha do Mel

Neste último domingo fomos viajar a trabalho. Nosso mês de maio foi extremamente cansativo, cheios de investimentos, trabalho, mudanças e também dores de cabeça. Por isso foi bom começar junho com um trabalho fora do tradicional caos de São Paulo. Algumas horas a mais de viagem entre ônibus, van e barco deixaram aquele rastro de desconforto muscular, mas a hora que chegamos na ilha já no domingo a noite, com quase tudo apagado e as estrelas brilhando foi preciso parar toda a loucura e descansar um pouco. Rodoviária de CuritibaA equipe nos buscou em Curitiba e dirigimos por uma hora até chegar em Pontal do Sul, uma cidadezinha que acabamos vendo apenas borrada pelas janelas da van. Precisávamos chegar ao terminal dos barcos rápido porque o último barco para a Ilha do Mel era as 18 hrs. IMG_8206 Quando chegamos lá, depois de alguns minutos de barco, com os cabelos já tocados pela maresia e começando a arrepiar com o vento que ficava gelado, ficamos meio que maravilhados com um lugar tão calmo e alheio do resto da sociedade. Embora seja um lugar muito visitado em alta temporada e tenha inclusive wifi em algumas pousadas, a hospitalidade e o limite de pessoas que podem entrar na ilha deixam o lugar com cara de intocado. Depois de um jantar com cara de praia junto com a equipe e um pulo no mercadinho da ilha, eu e o Ken demos uma volta pelas partes em que conseguíamos enxergar alguma coisa. Tudo muito legal pra quem gosta de natureza e vilarejos diferentes. O contraste entre as luzes e sombras durante a noite fica entre o misterioso e o um pouquinho assustador. Tudo dorme cedo na ilha, e a equipe aproveitou pra descansar mais cedo também já que íamos acordar cedo pras fotos. IMG_8238 IMG_8478 O dia amanheceu um pouco frio, com uma neblina duvidosa.. mas proporcionando uma visão extremamente linda na nossa opinião. Logo o sol começou a dar as caras e em alguns minutos nem parecia que aqueles momentos da manhã fria haviam passado por nossa pele em forma do vento gelado. IMG_8481 photo 3 photo 5A manhã estava silenciosa durante a caminhada até lá e à medida que fomos chegando, o barulho do mar foi nos ajudando a finalmente despertar. A Gruta das Encantadas é mágica, trabalhar em um lugar assim quase não parece trabalho. O vento lá continuava gelado, e a água ainda estava começando a se aquecer com o sol que havia nascido há pouco, mas ao longo do dia o sol queimou reconfortante em nossa pele e tornou o toque da água mais agradável aos nossos pés. photo 5photo 4photo 2 photo 1Saímos de lá no fim da tarde, com uma certa vontade de ficar e aproveitar mais alguns dias simplesmente dedicados a aproveitar a ilha. Mas como estávamos apressados para conseguir pegar as coisas na pousada e pegar o último barco para a cidade, agora me arrependo de não ter olhado para trás por mais alguns minutos.. só para ter aquela paisagem totalmente arquivada na minha memória. No barco, o cansaço começou a dar as caras e, embalados pelo por do sol, cada um mergulhou em seus próprios pensamentos. photo 1 photo 2 Espero que nosso relato passe um pouquinho da sensação gostosa que foi essa escapada da civilização que nós demos nessa última segunda. Isso é um pouco de tudo, um pouco de nós. :) @blackbirdstudio www.facebook.com/estudioblackbird